Deputados do Paraná brigam na Câmara: “vou te pegar, vagabundo”

Ivan Santos do Bem Paraná

Os deputados federais paranaenses Fernando Giacobo (PR) e Alfredo Kaefer (PP) trocaram xingamentos e quase partiram para a briga, na noite de terça-feira, em Brasília. A discussão teria começado depois que Giacobo ameaçou Kaefer, em razão de uma reportagem publicada pelo jornal “O Paraná”, de Cascavel, de propriedade do segundo.

Primeiro-secretário da Câmara, Giacobo teria corrido em direção a Kaefer, gritando. “Vai tomar no c… Eu vou te pegar, vagabundo. Vou mostrar suas notas frias”, afirmou o parlamentar do PR, segundo o jornal Extra.

A reportagem do jornal O Estado de São Paulo teria sido repercutida pelo O Paraná, e levantava suspeitas de que Giacobo teria adquirido uma propriedade do deputado federal Nelson Meurer (PP) a preço abaixo do mercado. A operação seria uma forma de Meurer – condenado pelo Supremo Tribunal Federal por corrupção passiva na última terça-feira – fugir do bloqueio de bens determinado pela Justiça, segundo investigação da Procuradoria Geral da República. A empresa que comprou o imóvel teria como o mesmo endereço de outra empresa de Giacobo e onde funciona o escritório do PR, partido do primeiro secretário da Câmara.

Giacobo foi citado no texto porque a empresa que comprou o imóvel fica no mesmo endereço de uma outra empresa sua e onde funciona o escritório do PR, seu partido.

Giacobo reafirmou, depois, em entrevista que Kaefer era “mesmo um vagabundo” e que seu jornal era “um pasquim”. Ele alegou ainda que estaria sendo pressionado a arquivar uma investigação sobre a prestação de contas de gastos da cota parlamentar por Kaefer.

Kaefer nega qualquer irregularidade e diz que pedir a presidência da Câmara a abertura de um procedimento no Conselho de Ética da Casa contra Giacobo. “Vou falar com o presidente Rodrigo Maia, para ele já saber que estou sendo ameaçado aqui na Câmara. Não tem nenhum cabimento essa história de investigação. Ele está inventando essa história. E, se quiser investigar, tudo bem. Tenho o passado limpo. Já o dele, é outra coisa”, disse.

Giacobo não explicou quais as acusações contra Kaefer.